1. Acha que o ebook veio para ficar e tem potencial para substituir o livro impresso? Se assim for o espaço físico das livrarias acaba?
Não acredito que o ebook vá acabar com o livro impresso, tal como o MP3 não acabou com os CDs nem com o Vinil. É apenas mais um suporte. Quem gosta de livros, vai gostar sempre de ter uns exemplares na estante e de ir a uma livraria folhear as novidades. Claro que poderá haver tiragens menores no futuro, mas o livro enquanto objecto não vai acabar.

2. Para si, existem vantagens para o escritor em vender o seu livro no formato digital em vez de impresso? Em caso afirmativo, quais são?
As vantagens não passam tanto pelo formato, mas antes pela auto-publicação vs publicação por uma editora. A vantagem do digital, sobretudo quando o autor publica sozinho, é mais em termos de margem de lucro e da facilidade que há, por exemplo, em corrigir um gralha ou acrescentar uma nota de rodapé. Também é um segmento que está a crescer e, como normalmente o ebook é mais barato que o livro em papel, os leitores poderão comprar mais quantidade de livros.

3. Na sua perspectiva existe alguma "receita" para criar um ebook de sucesso?
Bom, para mim as regras básicas são ter um bom conteúdo, editado ou revisto por um profissional, ter uma boa capa, também feita por um profissional, e conseguir convencer os leitores a deixarem a sua "review" no site onde compraram o e-book. A opinião dos outros leitores é muito importante para um quem procura um ebook. É o passa-palavra online.


4. Na sua opinião, as ferramentas existentes para a criação de ebooks neste momento são versáteis/intuitivas/fáceis de usar?
As que eu conheço e uso (Amazon e Smashwords) sim, são bastante fáceis e intuitivas.


5. Parece-nos que existem muitos recursos e dispositivos para a leitura de ebooks, nomeadamente sites especializados na venda destes produtos e dispositivos destinados exclusivamente à leitura de ebooks, nomeadamente os eReaders.
Também é fácil encontrar software e recursos para a criação de ebooks? E é possível encontrar boas soluções gratuitas? tem alguns exemplos...
As plataformas que eu uso (Amazon KDP e Smashwords) são excelentes soluções gratuitas.  Basta formatar o documento word conforme as instruções deles (com atenção as espaçamentos, quebras de páginas e inserção de imagens), ter uma imagem em alta resolução para a capa e depois eles próprios transformam esses elementos no formato ebook comum (kindle  e mobi). Também tratam da distribuição para todas as lojas virtuais.
Por outro lado  sei que existe software de criação de ebooks logo no formato mobi, que depois o autor pode distribuir como quiser, mas nunca experimentei.

6. Existe alguma diferença entre o licenciamento de um livro "físico" e um livro digital?
Para ambos os formatos é necessário um numero ISBN, que é gratuito e pode ser pedido À agência ISBN de cada país, embora estas plataformas também o façam automáticamente. A partir daí, a plataforma que escolhemos para distribiuir o livro é que trata do licenciamento e distribuição, por troca de uma percentagem das vendas. No caso dos ebooks, a percentagem para cedida pelo autor é na ordem dos 30%, mas no caso de livros físicos passa para 70%, uma vez que aí existem custos de impressão.


7. Considera que é "seguro" vender livros no formato digital, ou estes conseguem ser facilmente difundidos de forma ilegal por utilizadores com más intenções?
É tão seguro como o livro de papel. O livro de papel também pode ser fotocopiado ou emprestado a um número interminável de pessoas. A mim, enquanto autora, interessa-me que as pessoas leiam as minhas obras. Se gostarem, provavelmente comprarão as seguintes, mesmo que a primeira tenha sido obtida de forma ilegal. Claro que num mundo perfeito todos comprariam os livros e os autores ganhariam mais com o fruto do seu trabalho. MAs não há mundos perfeitos e quem escreve sabe que, salvo raras excepções, não vai ficar rico.

Um beijinho
--
Filipa Fonseca Silva
(author / autora)

Última alteração: Quarta, 30 Março 2016, 18:31
Ignorar Navegação

Navegação